Formação de Formadores

    A preparação dos profissionais reveste-se de carácter estratégico no desenvolvimento de qualquer actividade. No caso da Educação/Formação, esta asserção ganha particular acuidade: é dos profissionais e da sua prestação que dependem, em grande medida, os resultados e o sucesso que se deseja.

     

    Garantir a qualidade da Formação de Formadores é garantir a qualidade da Formação Profissional. Daqui se infere a sua pertinência e especificidade (não se confundindo com outras áreas de formação de cariz técnico) e, também, a sua centralidade no sistema.

    Do ponto de vista histórico, a Formação de Formadores deu origem a vários organismos. Referimos, a título de exemplo e pela importância que assumiram, o Centro Nacional de Formação de Monitores, criado em 1964, e o Centro Nacional de Formação de Formadores, com actividade muito relevante entre 1986 e 1992, a que se seguiram outras formas de organização. A importância relativa atribuída a esta área tem-se reflectido no grau de autonomia concedida aos organismos responsáveis e, naturalmente, no peso e dinâmica que estes imprimiram à sua acção, influenciando o panorama formativo nacional.

    O IEFP, I.P., enquanto principal operador público em matéria de Formação Profissional, tem como preocupação central a formação dos formadores que prestam a sua colaboração nas diversas unidades orgânicas. Além disso, deverá constituir-se, através do Centro Nacional de Formação de Formadores, como uma referência para a formação de formadores que ocorre para além da sua esfera, no espaço nacional, numa função orientadora e reguladora que lhe é inerente pelas suas competências e também pelo facto de nenhum outro serviço público desempenhar tais funções.

    FONTE: http://www.iefp.pt/formacao/formadores/formacao/Paginas/FormacaoFormadores.aspx